1.3.17

Notas sobre sentimentos humanos #2

|
Ele era cheio das surpresas - sempre chegava de formas diferentes, as vezes era uma mistura de angustia e entusiasmo ou até uma palpitação de nervosismo que caminhava ao lado de uma respiração descontrolada, uns até diziam que era ele o causador das famosas borboletas no estômago. Ninguém sabia ao certo. No entanto o coitado era sempre culpado por todas as dores e qualquer sofrimento causado só por viver a vida sem regras e planejamento.

Nunca 8, sempre 80, chegava a passar horas a fio esperando uma mensagem, um sorriso descompromissado ou até uma troca de olhares no meio de uma multidão, podia não parecer, mas também era ele que todo metido a durão chorava ouvindo músicas românticas por não saber como falar sobre o que sentia.

Todo mundo iria conhece-lo um dia na vida, de uma forma ou de outra através de qualquer pessoa, mas ninguém saberia contar de fato o momento exato em que ele apareceu e se instalou na sala de estar de suas casas dizendo que iria ficar por tempo indeterminado e, quem sabe, até pra sempre.
Sua presença era sutil, chegava como quem não queria nada e quando você finamente notasse já estaria preso em sua teia de sentimentos passando noites acordado pensando no que poderia existir nas entrelinhas de uma simples frase como "a gente poderia se ver amanhã de novo".
Ele era assim, uma névoa indecifrável e venenosa.
No entanto não era um veneno ruim, oh, não, isso dependerá unicamente do ponto de vista. Para alguns seria o melhor veneno provado, para outros seria o mais doloroso de todos.

Dizem que encontra-lo pela primeira vez é como se encontrar também, uma sensação incomparável a que qualquer um outro possa causar. Também me contaram que o tormento de senti-lo era ruim, mas pior que isso era o de vê-lo acabar - uma dor capaz de fazer pessoas enlouquecerem, ou seja, o mesmo que levava ao céu era capaz de te puxar de volta como se não fosse nada.

Ele era o sentimento mais idealizado e almejado pela maioria e também o mais confuso de todos os outros. Estou aqui escrevendo sobre, mas nunca vai ser possível ser tão exato assim quando se fala dele.
Ah, Amor, se existir uma palavra melhor do que inconstância pra te descrever, eu desconheço.

xxx 

Se quiser deixe algo nos comentários, pode ser crítica, sugestão, elogio ou qualquer outra coisa, fique à vontade!

14.2.17

Amei em Janeiro [2017]

|
Dia 20 de janeiro foi quando entrei de férias e apesar de ter perdido meu tempo com muita coisa que considero bobagem consegui fazer o restinho do meu mês ser, pelo menos, um pouco produtivo. 

Os melhores links

A Teoria do Pote por Laura Pires, um texto leve pra te fazer pensar e aprender a entender e respeitar as diferenças e o que é importante para seu parceir@ quando se está em um relacionamento.

Ninguém é obrigado a gostar de você por Hariana Meinke, sobre a nossa vontade de ser amado por todos e nossas frustração quando não é exatamente isso que acontece. Mais um daqueles textos pra dizer apenas que: calma, tá tudo bem.

Essa playlist de filmes Indie no Filmow, pra quem ama coisas feitas independentemente, como eu, vai ser o maior achado do mês - definitivamente.

Página Aquele Eita no Facebook, algumas coisinhas da vida expostas em tirinhas. É um amor, gente! Só vai ver. Sério. Dá só uma olhada nessa aqui.


Filme: Sete Vidas

Ben Thomas, um homem que se vê em uma encruzilhada da sua vida e busca uma maneira de redimir suas culpas. Ele descobre que tem o poder de mudar as circunstâncias de sete pessoas que ele não conhece e merecem uma segunda chance. Mas uma delas conquista o seu coração, e ele terá que decidir se deve desistir do plano e revelar o seu segredo.
Acreditem, Sete Vidas não é apenas um filme é O Filme, fez a minha família chorar e o melhor de tudo é que ainda tem na Netflix.

Vídeo: O mais construtivo do Mês

Sabe quando a gente fica triste por x's motivos e a única coisa que precisamos é que alguém nos dê um abraço? Era assim que eu estava me sentindo e a Stephanie veio com esse vídeo e simplesmente me abraçou com suas palavras. Definitivamente mais um pra lista do: calma, tá tudo bem.
Ainda sobre o vídeo tenho que admitir que me viciei na música que ela indicou e de agora em diante não tem um dia de bad que ela não entre na minha playlist. Clica aqui pra ouvir.

Álbum favorito

e não precisa ser um que foi lançado nesse mês, é só o que mais ouvi mesmo

Amém, The Lumineers! Não sou de escolher bandas/cantores favoritos, mas se tivesse que fazer isso eles iriam concorrer acirradamente com qualquer um outro.

Um game: Coming Out Simulator 

um jogo que simula "sair do armário", ou seja, assumi a homossexualidade
Descobri o jogo em uma gameplay do LubaTvGames e como sempre fui me informar antes de assistir o vídeo e gente. GENTE. Quando vi que era online surtei e claro que fui viver essa experiência sozinha, desculpa, mas não ia perder isso nem f***. E sabe um jogo que ganhou um espaço no meu coração? Taí! É difícil explicar, mas ele é bem mais que um simulador, quem quiser jogar também é só clicar aqui. A única parte ruim é que é em inglês, no entanto para quem sabe o básico dá pra entender bastante coisa. 

***
Eu iria falar de séries, mas assisti e gostei de tanta coisa que não iria caber aqui. De qualquer forma vamos aproveitar o espaço: vocês assistiram Desventuras em Série? Se sim, vem aqui que eu quero conversar com você no recreio.
Enfim, vamos trocar links, figurinhas e outros amores via pixel!
COPYRIGHT © 2017 | DESIGN E CÓDIGO POR: DONA INCONSTÂNCIA | Tecnologia do Blogger.